Jornal do Povo #59

05 a 20 de maio de 2016

05 a 20 de maio de 2016

O abandono do Parque do Zarico

Janaína Pazza

028Um dos locais conhecidos como área de lazer e ponto esportivo em Rio Paranaíba está abandonado. O Parque do Zarico, onde fica o Ginásio Poliesportivo Bruno Fernandes de Souza, está tomado pelo matagal.

Jornal do Povo #58

14 a 30 de abril de 20

14 a 30 de abril de 20

Rio Paranaíba: cor e raça (Parte 2)

Fabrício Carvalho Côrtes fabriciocortezz@gmail.com Graduando em Ciência Política pela Universidade de Brasília e Direito pelo Centro Universitário de Brasília

Fabrício Carvalho Côrtes
fabriciocortezz@gmail.com
Graduando em Ciência Política pela Universidade de Brasília e Direito pelo Centro Universitário de Brasília

Os brasileiros imaginam que vivem numa sociedade onde não há discriminação racial. Será isso mesmo? Em 1988, isto é, passados 100 anos após a assinatura da Lei Áurea, foi realizada uma pesquisa em que 97% dos entrevistados responderam que “não eram preconceituosos”. A maior surpresa aconteceu quando os mesmos entrevistados foram questionados se conheciam situações ou pessoas que demonstraram racismo, 98% das pessoas responderam “sim”. Vejamos o que isso, informalmente, pode significar:

Acidente próximo a Rio Paranaíba deixa nove feridos

Janaína Pazza

mg1Um grave acidente ocorreu no final da tarde deste domingo de Páscoa (27) na rodovia BR 354, entre os trevos de Rio Paranaíba e São Gotardo. Dois veículos, um Corsa Sedan, com placa de Patos de Minas e um Gol, com placa de Córrego Danta, colidiram frontalmente, deixando 9 pessoas feridas. 

Rio Paranaíba: Cor e Raça (Parte 1)

Fabrício Carvalho Côrtes fabriciocortezz@gmail.com Graduando em Ciência Política pela Universidade de Brasília e Direito pelo Centro Universitário de Brasília

Fabrício Carvalho Côrtes
fabriciocortezz@gmail.com
Graduando em Ciência Política pela Universidade de Brasília e Direito pelo Centro Universitário de Brasília

 

A questão das características de cor e raça em um país como nosso é muito complicada, tendo em vista a diversidade dos povos que vieram para nossa terra e as suas interrelações, o que acabou resultando neste “caldeirão cultural” que a nação é hoje. Em Rio Paranaíba a coisa não é diferente.